Fernanda Gomes

23 Novembro 2017 — 20 Janeiro 2018
Abertura: 23 novembro, 19h00






tantos planos de exposição! gosto de imaginar e projetar, mais ainda porque sempre sai diferente. cada exposição inclui muitas outras, vividas durante todo o processo.
­
a exposição é o melhor campo de provas, onde as possibilidades se expandem. e a dimensão pública traz uma tensão complementar à soltura do fazer em casa. traz a necessidade de acabar, até no sentido mesmo de acabamento, definir a versão final de vários provisórios, em cada detalhe. exige síntese e precisão.
­
(a exposição estaria para o atelier como a escrita para o pensamento?)
­
as exposições que faço na galeria luisa strina são onde mais naturalmente atualizo minha prática, são a extensão direta do atelier. é a melhor e mais difícil situação para mostrar meu trabalho, mais difícil porque melhor.
­
uma exposição sempre foi para mim um modo único de avançar com a investigação, absolutamente necessário para todos os processos, principalmente o mental. o ato excita o pensamento.
­
uma exposição é o momento concentrado, retroprospectivo. o presente inclui passado e futuro, são quase simultâneos no instante.
­
uma exposição vai além da reunião de obras. o conjunto é mais do que a soma das partes. uma exposição é mais do que uma obra em si, é uma entre infinitas possibilidades. positivamente incompleta, se prolonga na imaginação. é fim e sem fim, começo e continuação.
­
fernanda gomes, outubro 2017
­

­

­
A Galeria Luisa Strina tem o prazer de anunciar a exposição individual de Fernanda Gomes (Rio de Janeiro, 1960). Em sua oitava mostra na galeria, a artista apresenta trabalhos recentes e inéditos, prosseguindo sua pesquisa singular que engloba pintura e escultura, luz e espaço.
­
­
Exposições individuais recentes incluem: Alison Jacques Gallery, Londres (2017); Peter Kilchmann, Zurique (2015); Galeria Luisa Strina, São Paulo (2014); Centre International de l’art et du Paysage, Vassivière, França (2013); Alison Jacques Gallery, Londres (2013); Museu da Cidade, Lisboa (2012), Galerie Emmanuel Hervé, Paris (2012); Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro (2011), Centro Cultural São Paulo, 2011.
­
­
Exposições coletivas recentes incluem: 35o Panorama da Arte Brasileira, MAM Museu de Arte Moderna, São Paulo (2017, até 17 dez ); Ready Made in Brasil, Centro Cultural Fiesp, São Paulo (2017, até 28 jan ); OSSO – Exposição-apelo ao amplo direito de defesa de Rafael Braga, Instituto Tomie Ohtake, São Paulo (2017); “Doubles, Dobros, Pliegues, Pares, Twins, Mitades”, The Warehouse, Dallas (2017); “Third Mind. Jiri Kovanda and (Im)possibility of a Collaboration”, Galeria Nacional, Praga (2016); “Cut, Folded, Pressed & Other Actions”, David Zwirner, Nova York (2016); “Accrochage”, Punta della Dogana, Veneza (2016); “Imagine Brazil”, DHC/ART, Montreal (2015), Instituto Tomie Ohtake, São Paulo (2015), Musée d’Art Contemporain de Lyon (2014), Astrup Fearnley Museum, Oslo (2013); “Une histoire, art, architecture et design, des années 80 à aujourd’hui”, Centre Pompidou, Paris (2014); 13a Bienal de Istambul, Turquia (2013); 30a Bienal de São Paulo, Brasil (2012).
­
­
Coleções públicas das quais seu trabalho é parte incluem Centre Pompidou, França; Tate Collection, Inglaterra; Art Institute of Chicago, EUA; Miami Art Museum, EUA; Fundación/Colección Jumex, México; Fundação Serralves, Portugal; Museum Weserburg, Alemanha; Vancouver Art Gallery, Canadá; Centre National des Arts Plastiques, França; Museu de Arte da Pampulha, Belo Horizonte; Museu de Arte Moderna, São Paulo; Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro.
­
­
Em 2016, seu trabalho foi incluído no livro Vitamin P3: Novas Perspectivas em Pintura (Phaidon, Londres).

Abertura: Quinta-feira, 23 de novembro, 19h às 21h
Período de exposição: 23 de novembro, 2017 a 20 de janeiro, 2018
Horário de visitação: Segunda à Sexta das 10 às 19h / Sábados das 10 às 17h
­
Para mais informações escrever para Flávia França
flavia@galerialuisastrina.com.br

Voltar ao Topo