Nicolás Paris

entre mañana y ayer o los caminos del desvío

exposição individual

07 Abril — 19 Maio 2018






“O espaço implica relações invisíveis. Tem a capacidade de preencher-se de códigos, falar, multiplicar e limitar o que acontece em torno dele. Com base nessa ideia, oferece oportunidades para abrir diálogos e trocas, para que possa servir então como uma ferramenta pedagógica.“ – Nicolás Paris

 ­

A partir da ideia de ocupação de um espaço expositivo como possibilidade pedagógica, Nicolás Paris constrói sua poética centrada nos sentidos, acionados pela experiência artística em sentido amplo. Valendo-se de gestos mínimos na composição de seus desenhos e de sutis interferências em objetos ordinários para desestabilizar a percepção do observador, o artista elabora suas obras com dispositivos que vão além do ato de grafar e, frequentemente, se transformam em exercícios lúdicos de experimentação criativa.

 ­

Galeria Luisa Strina tem o prazer de anunciar a exposição entre mañana y ayer o los caminos del desvío, segunda exposição individual do artista colombiano na galeria. A partir de uma ideia que começou a desenvolver em 2015 no Museu Coleção Berardo, Paris agrega estruturas suspensas junto a objetos, desenhos, plantas, vídeos e workshops atravessando todo o espaço expositivo. O aspecto pedagógico desses workshops, baseados na ideia de currículo oculto (*), são o cerne de seu trabalho e serão oferecidos a educadores institucionais e independentes em São Paulo.

 ­ ­

Exposições solos recentes incluem: “ejercicios para sembrar relámpagos”, Caixa Forum, Barcelona (2017); “Petricor”, NC-Arte, Bogotá (2016); “Quatro variações à volta do nada ou falar do que não tem nome”, Museu Berardo, Lisboa (2015); “Micro-eventos o la posibilidad de equivocarnos”, Fórum Eugénio de Almeida, Évora (2015); “Room for Us”, Kadist Art Foundation, Paris (2013); “Ejercicios de Resistencia”, MUAC Museo de Arte Contemporaneo, Cidade do México (2012); “Desaprender”, Galeria Luisa Strina, São Paulo (2012).

 ­

Paris participou de projetos e exposições coletivas em museus e instituições como: CRAC Alsace, Altkirch; Museu Carrillo Gil, Cidade do México; MOCAD, Detroit; Grazer Kunstverein, Graz; CEAAC, Estrasburgo; EACC, Castello; Manchester Art Gallery, Manchester; CCS Bard Hessel Museum of Art, Annandale-on-Hudson / NY; CCA Wattis Institute, São Francisco; Museo Banco de la República, Bogotá; SFMOMA, São Francisco; MOCA, North Miami; Drawing Room, Londres; MUSAC, León; Museo Antioquia, Medellín; MACBA Museo de Arte Contemporáneo de Barcelona; La Casa Encendida, Madri, entre outros.

 ­

Paris participou das seguintes bienais: XII Biennial of Havana (2015); I Bienal de Arquitetura de Chicago (2015); XXX Bienal de São Paulo (2012); IX Bienal de Shanghai (2012); II Trienal do New Museum (2012); XI Biennial of Lyon (2011); LIV Bienal de Veneza (2011) e VII Bienal do Mercosul (2009).

 ­

Participou de residências em instituições como Kadist Paris; FAAP / 30a Bienal de São Paulo; residência Museum as Hub – Trienal do New Museum; “Available Artists” – 7a Bienal do Mercosul.

 ­

Coleções públicas das quais seu trabalho é parte incluem: MoMA Museum of Modern Art, Nova York; Coleção Tate, Londres; Kadist Art Foundation, Paris; Coleção Jumex, Cidade do México; MUSAC Museo de Arte Contemporáneo de Castilla y León, León; La Caixa, Barcelona; Museu Thyssen-Bornemisza (TBA21), Viena e Coleção Banco de la República, Bogotá.

 ­

* A ideia de currículo oculto consiste nas coisas que os participantes / estudantes aprendem através da experiência de frequentar uma sala de aula / instituição além dos objetivos educacionais de tais instituições.

­

­

Período de exposição: 7 de abril a 19 de maio, 2018
Horário de visitação: Segunda a Sexta das 10 às 19h / Sábados das 10 às 17h
­
­
Para mais informações entrar em contato com Flávia França.

Voltar ao Topo