Cildo Meireles

Camelô

28 Setembro — 24 Outubro 1998
Exposição no 1º piso






Exposição baseada no cotidiano de camelôs que vivem espalhados pelas calçadas das cidades e sobrevivem da venda de bugigangas. “Camelô” é para o artista uma lembrança de infância: uma nada entre tantos, único ante todo. Um vendedor de alfinetes, um vendedor de barbatanas e um vendedor debonecos; uma inconcebível lógica valor. Um humílimo minimalismo.

Voltar ao Topo