Laura Belém

11 Setembro — 11 Outubro 2008
Exposição no 1º piso






A exposição individual de Laura Belém na Galeria Luisa Strina apresenta trabalhos recentes, em escultura, fotografia e desenho. Os trabalhos habitam uma zona conceitual que mescla o entorno ao poético e ao político, numa apropriação e livre re-significação de temas como paisagem, meio-ambiente e cotidiano. Cada trabalho apresenta um recorte de uma parcela da realidade e anuncia um gesto artístico capaz de subverter ou potencializar nossa percepção de elementos familiares. Em todos os trabalhos da mostra, a poética se contrasta a uma aridez e ironia que instigam uma reflexão sobre a interação do homem com o meio-ambiente. Uma coleção de pequenas paisagens feitas com carbono que unidas se transformam num panorama maior e ainda mais árido (“Paisagem Seca”, 2008 – desenho e colagem sobre papel); um tanque de água com palafitas em miniatura que instiga reflexões sobre moradia, globalização, improviso e mudanças climáticas (“Veneza do Brasil”, 2007 – escultura); um céu arbitrário e enquadrado sob uma nova perspectiva (“Céu de estrelas”, 2008, escultura); uma combinação entre o acaso e uma intervenção artística mínima que provoca incertezas no observador (série de fotografias, 2008): o gesto que seleciona, recorta, desloca e re-significa poeticamente uma parcela da realidade, ao mesmo tempo recorda a importância de uma aproximação mais consciente entre o homem e seu entorno.

Biografia: Desde 1998, Laura Belém vem participando de exposições no Brasil e no exterior. Dentre as exposições individuais já realizadas estão Paisagens Flutuantes (Museu de Arte Aloísio Magalhães, Recife, 2007), Fruit Market, (Art Positions / Art Basel Miami Beach 06, Florida, 2006), Galeria Luisa Strina, (São Paulo, 2006), Ainda Outono (Centro Universitário Maria Antonia, São Paulo, 2005), Bolsa Pampulha (Museu de Arte da Pampulha, Belo Horizonte, 2004), Projeto Pampulha (Museu de Arte da Pampulha, Belo Horizonte, 2002). Tem participado de diversas exposições coletivas, dentre as quais destacam-se Blooming: Brasil-Japão, o seu lugar (Toyota Municipal Museum of Arts, Toyota City, Japão, 2008); Desenhar é um verbo (Coleção Madeira Corporate Services, Ilha da Madeira, Portugal, 2007); Panorama da Arte Brasileira (Museu de Arte Moderna de São Paulo, 2007); Nuit Blanche (Toronto, Canadá, 2007); VI Bienal de Artes Visuais do Mercosul (Porto Alegre, 2007); Iberoamérica Global: entre la globalización y el localismo (Casa de América, Madri, Espanha, 2007); Paralela 2006: uma exposição de arte contemporânea brasileira (Pavilhão Armando de Arruda Pereira, Parque Ibirapuera, São Paulo, 2006); Geração da Virada – 10 + 1, Instituto Tomie Ohtake, São Paulo, 2006), Situ/ação: aspectos do documentário contemporâneo (Galeria Vermelho, São Paulo, 2006); Con los ojos del otro (Centro Cultural de Espanha, Montevidéu, Uruguai, 2006), 51a Bienal de Veneza (Veneza, Itália, 2005); Fragmentos e souvenirs paulistanos (Galeria Luisa Strina, São Paulo, 2004); Obra colecionada 1943-2003 (Museu de Arte da Pampulha, Belo Horizonte, 2004); I Bienal de Praga: Peripheries become the Center (Veletrzní Palác, Praga, República Tcheca, 2003). Foi bolsista de diversos programas internacionais e de intercâmbio artístico (‘Artista em residência’), tais como: The Drake Hotel, Toronto, Canada 2007; Triangle Arts Association, Brooklyn, Nova York 2006; Casa de Velásquez, Madri, Espanha 2005. Obteve a Bolsa Pampulha (27o Salão Nacional de Arte de Belo Horizonte) pelo Museu de Arte da Pampulha em Belo Horizonte, em 2003.

Voltar ao Topo