Marcius Galan

Área Comum

28 Fevereiro — 26 Março 2008
Exposição no 1º piso






MARCIUS GALAN A Galeria Luisa Strina apresenta exposição individual do artista Marcius Galan a partir do dia 28 de fevereiro.

“Área Comum” ocupa dois pisos da galeria. No piso I, Galan mostra duas obras da série Isolante, que parte da idéia de divisão do espaço utilizando objetos domésticos destituídos de suas funções originais que servem de vértice para criar pequenas áreas no espaço da galeria. Estes objetos são unidos por chapas de ferro pintadas de amarelo que se assemelham à fitas de demarcação e isolamento. Duas obras presentes da série Luz Fria também tratam de simulação de funcionalidade.

Ainda no primeiro andar da galeria, Galan apresenta o trabalho Monte-Ilha, que é uma espécie de maquete topográfica formada por várias camadas de objetos de casa (como tapetes, porta, prateleiras, e outros) empilhados sobre uma mesa invertida. Os pés das mesas servem de alicerce para essa estrutura que transforma os objetos, retirando-lhes a função e propondo uma paisagem (ilha).

A obra Composição de Área Comum é instalada em uma parede da mesma sala expositiva. O artista reconstrói em madeira objetos que partem de sinalização e segurança de condomínios, edifícios, clubes, garagens e locais públicos de grande fluxo de pessoas. É uma sinalização para dispositivos que auxiliam em caso de emergência, porém, neste caso, são simulações que escondem estruturas inoperantes.

Para esta, que é a sua terceira exposição individual na galeria, o artista também preparou uma instalação do tipo site-specific no piso III do prédio. Secção Diagonal cria uma divisão no espaço da sala através de pintura na parede, no teto e no chão.

Marcius Galan (Indianápolis, EUA – 1972) vive e trabalha em São Paulo. Entre suas exposições recentes, destacam-se: “Contraditório – Panorama da arte brasileira”, com curadoria de Moacir dos Anjos, no Alcalá 31, Madri (2008) e no MAM, São Paulo (2007); “Looks Conceptual ou como confundi um Carl André com uma Pilha de Tijolos”, com curadoria de Kiki Mazzucchelli, na Galeria Vermelho, São Paulo (2008); “Manual – Instructions for beginners and advanced players”, na Kronika Gallery, Bytom, Polônia (2007); “Most curatorial bienal of the universe”, na APEXART N. York, Nova York (2007); “Drawing is a verb [Desenhar é um verbo] ” – Coleção MCS, com curadoria de Adriano Pedrosa, na Galeria Porta 33, Funchal, Ilha da Madeira; “Geração da Virada – 10 + 1: Os Anos Recentes da Arte Brasileira”, com curadoria de Agnaldo Farias e Moacir dos Anjos, no Inst. Tomie Ohtake, São Paulo (2006) e “MAM na OCA”, com curadoria de Cauê Alves, Felipe Chaimovich e Tadeu Chiarelli, no Pavilhão da Oca, São Paulo (2006).

Voltar ao Topo