Jarbas Lopes, Laura Lima

Padedéu

02 Setembro — 06 Outubro 2009
Exposição nos 1º e 2º






A Galeria Luisa Strina apresenta, do dia 2 de Setembro até o dia 6 de Outubro de 2009, a exposição individual e conjunta Padedéu, dos artistas Laura Lima e Jarbas Lopes. A exposição celebra a convivência destes dois artistas há mais de uma década, quando participaram da Mostra Antártica Artes com a Folha em 1996, em São Paulo.

O titulo da exposição surge da sugestão “Pádedê” do artista Cabelo e é adaptado por Laura e Jarbas como Padedéu, significando abundância no imaginário popular. Inicialmente, Laura e Jarbas realizariam projetos individuais expostos em diferentes espaços da Galeria Luisa Strina. A coincidência das datas gerou uma conversa entre os artistas que decidiram realizar certas obras conjuntas partindo do “conceito fluido” de atravessamento, termo cunhado por Laura e o artista Marssares e em trabalhos com Jarbas em diferentes momentos. Atravessamento fala da proximidade e influencia de idéias que se entrelaçam na vida de artistas que convivem, conversam e expõe juntos em uma mesma época. Além disso, os artistas exibirão obras realizadas individualmente em seus ateliers. Conseqüentemente, Padedéu, oferece duas individuais que se apresentam e entrelaçam-se gerando um sentido expandido de suas convivências.

Para Padedéu, Jarbas mostra suas pesquisas com a terra a partir de um entendimento do corpo construindo esculturas, “Montanha Nã” e a “Casulos para uma Nova Geração Humana”, entre outras obras. Laura exibe pela primeira vez em São Paulo seus novos trabalhos com a alcunha de “Tarefas Simples”, remontando a participação de pessoas em suas obras depois de sua experiência com “Homem=carne/Mulher=carne” (1996-97), trabalho que trata o corpo humano como matéria e é fundamental para a realização de uma idéia. Em “Tarefas Simples”, partes de corpos saem de paredes ou biombos e realizam alguma tarefa, como desenhar com a mão esquerda, ou bater palmas para a “Montanha Nã” de Jarbas. Desta maneira, cria-se um dialogo entre os trabalhos, onde não se dissolvem autorias, mas constroem-se capilaridades.

Laura Lima, 1971, é mineira radicada no Rio de Janeiro e formada em Filosofia pela Universidade Estadual do Rio de Janeiro. Desde o início de seu percurso, trabalha com seres e organismos vivos e tangencia o universo da performance pelo uso do corpo, remontando a idéia de escultura ou de tableaux vivant. Duas vezes convidada da Bienal de São Paulo, participa de diversas exposições no Brasil e no exterior e seu trabalho está em diversas coleções nacionais e internacionais como: o Museu de Arte Moderna de São Paulo e o Museu de Arte da Pampulha (BH). Laura co-dirige com Ernesto Neto e Márcio Botner a galeria de arte “A Gentil Carioca,” (RJ) e expõe “Nuvem” até o dia 13 de Setembro na galeria da Casa de Cultura Laura Alvim no Rio de Janeiro. É Curadora Adjunta da 7a Bienal do Mercosul a realizar-se este ano entre Outubro e Novembro em Porto Alegre. É ganhadora do Prêmio Marcantônio Vilaça de 2006, entre outros.

Jarbas Lopes nasceu em Nova Iguaçu, RJ, em 1964. Graduou-se em Escultura pela Escola de Belas Artes – EBA da Universidade Federal do Rio de Janeiro, em 1992. De 1989 a 1993, pintou e esculpiu para escolas de samba do Rio de Janeiro. Participou de exposições como: “Off the Grid,” na Galeria Lehmann Maupin, em Nova York (2002), 8ª Bienal de Havana (2003), “Gambiarra – New Art from Brazil,” na Gasworks Gallery em Londres (2003), “Cicloviárea,” no Arizona (2007) e “Jarbalópolis” em Nova York (2007).  Vencedor da bolsa de Arte da Miami Art Central Debuts Fellowship Program em Coral Gables, Miami. Sua obra faz parte de importantes coleções como Coleção Gilberto Chateaubriand – MAM, Rio de Janeiro, The Museum of Modern Art (MoMA), Nova York e Victoria & Albert Museum, Londres.

 

 

Voltar ao Topo