DESCONHECIDO PARA O MUNDO: Galeria Luisa Strina

Apresentação

Online viewing room

 

A Galeria Luisa Strina tem o prazer de apresentar Desconhecido para o mundo, de Tonico Lemos Auad, sua quarta individual na galeria. Reunindo um conjunto de obras têxteis de parede e esculturas produzidas com madeira de demolição e dormentes de trem reutilizados, a exposição explora as relações desses materiais com a arquitetura e a paisagem. É central, ainda, na obra de Tonico a noção de “reparo”, abordada tanto por meio dos métodos que emprega na execução das obras em tecido (cerzir, amarrar, desfiar) quanto na escolha da madeira de reuso como matéria-prima das esculturas. Outro importante foco de interesse do artista são as práticas e técnicas artesanais passadas através de gerações, como o bordado e o entalhe em madeira ou pedra; muitas delas à beira da extinção no âmbito da economia global.

 

Entre os trabalhos apresentados está Desconhecido para o mundo - escultura que empresta o título à exposição -, formada por quatro vigas de reuso com alturas variadas e posicionadas verticalmente. As peças retêm as marcas do desgaste acumulado em sua vida pregressa e, em algumas delas, o artista adicionou pedaços de linho em tons quentes cuja materialidade contrasta com a solidez da madeira. Além disso, o entalhe sutil realizado pelo artista faz com que esses tocos ora adquiram feições antropomórficas, ora pareçam absolutamente abstratos.

 

Na última década, o trabalho com a matéria têxtil tornou-se um dos principais eixos da obra de Tonico. O artista trabalha com uma variedade de técnicas e métodos - incluindo tear manual, tricô, crochê, bordado, entre outros -, misturando pontos feitos à mão e à máquina para criar superfícies híbridas onde se mesclam diferentes tradições e saberes ancestrais. Embora o resgate das práticas artesanais tenha uma importância fundamental em sua pesquisa, a subversão das regras do “bom artesanato” é a essência de seu trabalho. A trama e a urdidura do tecido, com sua organização rígida e ortogonal, são desfeitas e desorganizadas por meio da remoção dos fios e subsequentemente reorganizadas por meio do bordado a fim de criar imagens ou padrões integrados ao tecido original.

 

As obras têxteis de parede apresentadas na exposição são em sua maioria executadas em ponto tunisiano, uma forma híbrida entre o tricô e o crochê, e incluem uma variedade de tipos de lãs e linhas que se mesclam nas composições. Nesses trabalhos, Tonico explora uma extensa gama de variações tonais que se tornam visíveis apenas quando os diferentes tipos de linha são colocados lado a lado em imagens semi-abstratas que evocam paisagens noturnas. Além disso, as molduras dessas obras, feitas em madeira roxinho, se tornam parte integral da composição, adicionando mais uma camada de contraste e enquadramento. Reforçam, ainda, que o papel da madeira na prática de Tonico não é nunca de neutralidade.

 

A matéria têxtil aparece também nas cordas confeccionadas pelo artista, utilizadas como material escultórico em sistemas de amarração baseados no shibari, técnica milenar de amarração japonesa originalmente desenvolvida para imobilizar prisioneiros e mais tarde incorporada à cultura do bondage.

 

Em Desconhecido para o mundo, Tonico Lemos Auad dá continuidade a uma pesquisa longa e consistente com o tecido e a madeira, produzindo obras nas quais predominam ideias relativas aos saberes artesanais em contrapartida à produção massificada de bens de consumo e ao elogio do reuso e do reparo em oposição à noção de obsolescência programada. Em última instância, são trabalhos que propõem uma temporalidade estendida que vai contra o modelo econômico do capitalismo avançado, apontando, ao contrário, para as dimensões ambientais e psíquicas da cura através do restauro e do reaproveitamento de recursos que encontramos à nossa volta.

 

 

Tonico Lemos Auad nasceu em Belém e vive e trabalha em Londres. Seu trabalho explora o significado cultural e pessoal atribuído aos objetos cotidianos. Muitas vezes incorporando noções de paisagem e arquitetura, o trabalho de Tonico subverte as técnicas tradicionais associadas às artes aplicadas. Entre suas exposições individuais recentes encontram-se Unknown to the World (Cample Line, Nithsdale, 2021); Tonico Lemos Auad (De La Warr Pavilion, Bexhill, 2016) e O que não tem conserto (Pivô, São Paulo, 2016). Exposições coletivas recentes incluem a Biennale Gherdëina (Ortisei, Itália, 2020); Sharjah Biennial 13 (Sharjah, 2017); Folkestone Triennial (Folkestone, 2011). Em 2019, foi vencedor do Frieze Stand Prize na Frieze Londres. Seu trabalho está representado em importantes coleções insternacionaisincluindo Herbert F. Johnson Museum of Art, Nova York, EUA; Pizzuti Collection, Ohio, EUA; The Museum of Contemporary Art San Diego, EUA; West Collection, Pennsylvania, EUA; FLAG Art Foundation, New York, EUA; Santa Barbara Museum of Art, California, EUA; Zabludowicz Collection, Londres, UK; Tate, Londres, UK; Museum of Contemporary Art, Vigo, Espanha; British Friends of the Art Museums of Israel, Israel Museum, Jerusalem, Israel; Pinacoteca de São Paulo, São Paulo, Brasil; e Instituto Inhotim, Brumadinho, Minas Gerais, Brasil.

 

Para mais informações: press@galerialuisastrina.com.br

 

 

Galeria Luisa Strina

Rua Padre João Manuel, 755

Cerqueira César 01411-001

São Paulo, Brasil

 

Segunda a sexta das 10h às 19h

Sábado das 10h às 17h

+55 11 3088 2471

+55 11 950868020

Installation Views